Das cartas que eu nunca te escrevi *

Este post faz parte da blogagem coletiva do grupo Rotaroots, sendo que neste mês de Setembro os temas eram escrever sobre o que é a independência para mim que você pode conferir aqui e publicar uma carta que você nunca escreveu para alguém especial, fosse para sua mãe, professora, amigo ou até cachorro. Eu escolhi fazer uma carta para uma amiga que atualmente nem é tanto minha amiga assim e que inclusive, até já citei o nome dela em outro post em que escrevo uma carta para a Carol de 10 anos atrás. Quem conviveu com a gente, vai saber de quem estou falando.


"Querida amiga,

Eu nunca poderia imaginar que a nossa amizade terminaria daquela forma. Quando nos conhecemos, eu me lembro de que te admirava, te achava tão inteligente, meiga e com uma força interior enorme. Eu queria aprender com você, queria cozinhar com você e ouvir todas as palavras sábias e opiniões que você tinha sobre o mundo.

Você sempre foi tão bonita. Pele branquinha, cabelos pretos e um sorriso lindíssimo. Eu adorava o seu jeito de ser e quase não via defeitos nisso. E pensar que quase fomos cunhadas uma da outra. Algumas vezes você me mostrou o seu lado frágil, inseguro.. e mesmo assim, eu só conseguia ver uma mulher forte, capaz de superar qualquer desafio. Eu me sentia até um pouco inferior a você, como se eu não soubesse nada da vida e você fosse um tipo de inspiração para mim. E por várias vezes pensava "quem sou eu para dizer isso a ela? Logo eu que mais falo do que faço..".

Quando eu mudei de escola, eu chorei porque sabia que não iria mais te ver. Quem iria me distrair e me fazer esquecer das coisas ruins com palavras tão doces e ao mesmo tempo realistas? Eu amava a sua sinceridade, a sua forma de pensar. E confesso que senti muito ciúmes de você uma época, pois tive medo de perder a sua amizade quando vi você se relacionar com garotas que falavam mal de você pelas costas. Te amava tanto que não pensei duas vezes em te defender quando criticaram a sua religião para os meus pais. E a pessoa ficou tão ofendida com as coisas que eu disse que partimos para a briga corpo a corpo (de novo, porque eu já tinha brigado com a mesma menina na 4ª série e em outro colégio), além de levarmos para o lado pessoal, fazendo com que aquela maldita briga durasse uns 3 dias seguidos. Mas você aparentemente não se importou com nada disso e eu nunca soube o que você pensava do assunto.

Mesmo assim eu te queria por perto. Mas depois de quase 2 anos sem te ver, nos reencontramos na faculdade e percebi que a nossa amizade tinha mudado muito, porém a minha admiração por você continuava a mesma. Foi aí que eu conheci um cara bacana e por uma infeliz coincidência, ele já tinha ficado com você também. Então eu te procurei e perguntei se você ainda estava afim dele.. e você me respondeu que não e até que já estava ficando com outro. Senti o caminho livre e fui em frente. O resto da história nós duas já sabemos.

Não, não estávamos falando mal de você naquele churrasco. Eu estava do lado dele e jamais comentamos alguma coisa que pudesse te ofender. Infelizmente, você sempre teve uma cobra ao seu lado que te envenenou contra nós naquele dia. E não pense que tenho preconceito pelo fato do seu "amigo" ser homossexual, nada disso, porque todo mundo sabe que eu também tenho amigos assim. Mas ele é sim um idiota para mim, principalmente depois daquele dia. Eu jamais quis te ofender ou fazer mal e se eu soubesse o que aquele namoro me causaria, jamais teria ficado com ele.

Nossa amizade nunca mais foi a mesma. Até hoje eu ainda não sei se você me perdoa de verdade, mesmo você afirmando que sim. Todos nós erramos um dia e eu me arrependo por ter te magoado, acredite. Eu sei que você não confia mais em mim porque confiança depois que se perde uma vez, nunca mais se conquista de volta. Mas eu só queria que essa carta chegasse até você sabe.. só para você saber que eu ainda me importo e que sua amizade faz muita falta. Eu sempre estarei aqui quando você precisar, basta me procurar, você sabe na onde me encontrar. Espero que um dia possamos voltar a fazer brigadeiro juntas ou a dançar esquisito loucamente de novo. Mas se não der, tudo bem também.. eu só quero que você seja muito feliz.

Um beijo mega doce para alegrar o seu dia.

Carol Porto"

Espero que tenham gostado. Fico triste por escrever algo que sei que nunca vai ser lido por esta minha amiga, mas enfim, pelo menos eu escrevi o que sinto e coloquei pra fora todo sentimento que estava guardado com relação a nossa amizade. E vocês? Para quem escreveriam uma carta? Comentem!

Beijos ;*

4 comentários:

  1. Gente, que fofo!
    Já mandei uma carta assim para uma amiga. eu a magoei, fui grosseira, mas ela nunca me perdoou...


    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas eu acho que no fundo a minha amiga também não me perdoou flor.. é aquela coisa, perdoa.. mas nunca mais confia.. e me sinto super mal por isso :\

      beijos!

      Excluir
  2. Gostei da carta, até me identifiquei em alguns pontos.
    O tempo é uma entidade avassaladora mesmo.
    Como eu já havia dito, você escreve muito bem!
    Beijos ^_^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Kris! Fico feliz que tenha se identificado.. beijos!

      Excluir

Os comentários neste blog são moderados. Não serão aceitos comentários ofensivos, preconceituosos ou que induzem à violência.

© Mutações Faíscantes da Porto | Layout por A Design