Eu não sei ser "moderninha" *

Desde criança, eu sempre fui uma menina mais romântica que adorava usar vestidinhos floridos, observar os passarinhos e colocar vários "inhos" em tudo que fosse bonitinho. Cresci em um lar cristão, tenho avós paternos que sempre foram muito rígidos, sendo a família por parte de pai extremamente conservadora e a família por parte de mãe extremamente misturada, com tias crentes demais ou tias liberais demais.

Não sei se foi por causa desta educação que me deram, mas o fato é que eu nunca consegui ser uma mulher "moderna". Não uso roupas de marcas caras (a não ser que for presente, porque né..), jamais viajei para fora do país, não sei comprar em sites estrangeiros e sou péssima com coisas tecnológicas, apesar de tentar conviver com elas o máximo possível.


Ainda me surpreendo com muitas coisas, principalmente com relação a maldade humana. Não me conformo com todo esse preconceito que ainda existe no mundo, com o fato de alguns pais não amarem mais a seus filhos e certos crimes terem se tornado tão comuns e pior, as pessoas estarem conformadas com o próprio sofrimento e quando presenciam alguém em perigo, tiram fotos com seus iphones ao invés de ajudar. Até tirar selfies em velórios virou algo divertido.

Eu não sei palpitar sobre moda e não sei o que é ou será tendência. E apesar de saber maquiar, eu só sei falar sobre os produtos de uma única marca: Mary Kay. Vendo e uso outras marcas, mas não saberia te dizer muita coisa sobre elas. Nunca fui de ficar com alguém sem ter sentimento nenhum e até as minhas ficadas duravam meses. Eu também não sei fazer nail art, adoro receber flores, prefiro ficar em casa ao ir para a "balada do ano" e só compro livros palpáveis ao invés de e-books, porque sim, gosto de sentir o cheirinho do livro, o barulhinho das páginas passando e de poder ler sem precisar recarregar a bateria do tablet.

Sou uma dessas mulheres ingênuas que ainda acreditam no amor e que casamento pode sim ser eterno, se é que mulheres assim ainda existem. Quero filhos, netos e aos domingos reunir a família para comer macarronada ou um belo churrasco. Não acho legal ser sozinha no mundo, acho até que enlouqueceria se chegasse aos 40 sem casar. Também prefiro cartas ou e-mails ao invés de mensagens de celular e achava bem mais bacana os depoimentos do orkut aos recados na timeline do facebook que conforme você compartilha coisas novas, somem do seu perfil depois de um certo tempo. 

Muitas vezes eu recebi olhares tortos e risadas maldosas por causa desta minha mania de não saber opinar sobre os assuntos que estavam "na moda". Mas e daí? Eu não quero gostar de uma cor hoje e amanhã deixar de gostar só porque a consideram brega. Eu não quero namorar só porque todas as minhas amigas estão namorando e não porque eu gosto da pessoa. Eu não quero fingir ser uma pessoa que eu não sou.

Mas infelizmente, hoje somos obrigados a aprender pelo menos o básico da informática, se quisermos aquele tão desejado cargo. Porém, o que eu mais vejo são pessoas dizendo que gostam de coisas que elas não curtem de verdade, só para arrancar curtidas ou elogios dos seus amigos que pensam igual. E qual é a graça em ser igual uns aos outros? 

Ser uma pessoa boa, virou brega. Acreditar em romances virou brega. Fazer o que se gosta virou brega. Daqui a pouco, até ser feliz vai ficar brega demais e aí, na onde vamos parar?

Beijos ;*

4 comentários:

  1. Eu penso igual você, casamento deveria ser para sempre, família grande, também não entendo nada de esmaltes, nail art, maquiagem uso pouco, e não uso roupas da moda. A maioria fala que eu sou assim porque eu tenho um "transtorno mental", ou seja, sou "louca", e escuto risadinhas e zoações quando eu não sei opinar sobre um programa da Globo, por exemplo, mas fazer o quê. Eu não vou ser igual todo mundo, acho que é tão lindo cada pessoa expressar a própria essência!

    http://www.gotinhasdeesperanca.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Michele vem ser minha amiga então! Prefiro ser amiga das "loucas" do que de gente mesquinha :D Falou tudo! As pessoas infelizmente não nos deixam nem ter problemas normais ultimamente.. beijos!

      Excluir
  2. Por isso que há um certo tempo eu parei de me importar com que os outros pensavam e decidir ser eu e ser feliz da forma que eu desejo, ser, quem se agradar se agradou, quem não, problema é dele.
    Adorei seu texto, viu? Você escreve muito bem.
    Beijos
    http://www.conversasdealcova.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tá certíssima Kris.. e obrigada, escrevo assim porque é de coração :) beijos!

      Excluir

Os comentários neste blog são moderados. Não serão aceitos comentários ofensivos, preconceituosos ou que induzem à violência.

© Mutações Faíscantes da Porto | Layout por A Design