Razão e Sensibilidade por Jane Austen *



     É o primeiro livro publicado da escritora inglesa Jane Austen. A mesma que eu fiz este post.
     Comprei essa versão, confesso, pelo preço. Como é um livro com quase 500 páginas e de uma autora de renome, não é sempre que os preços caem, (paguei acho que R$20,00 no Submarino).

  
   Margareth, Marianne e Elinor são irmãs, mas a história se concentra apenas nas duas últimas. Elas vivem com a mãe, uma viúva, que quando seu marido estava no leito de morte fez seu filho prometer que cuidaria da madrasta e das irmãs. O problema é que John Dashwood é casado, e sua mulher preocupadíssima com a herança e com o quanto ele gastaria com as irmãs, persuade o marido a não ajudar a família. 

   A família ocupa a casa que é parte da herança do pai junto com a família do filho mais velho, mas com o tempo a incompatibilidade de personalidade entre a mãe e a mulher do filho chega ao limite e a Sra. Dashwood procura outro lugar para morar. Um parente distante que descobre a situação da família, envia uma carta oferecendo um pequeno chalé para que elas possam se hospedar.

   A partir daí, Elinor que estava se relacionando  com um rapaz chamado Edward, parte para a outra cidade sem ter certeza dos sentimentos dele. E Marianne que ainda não havia encontrado ninguém, se muda para a outra cidade esperançosa, porém ela acredita que só se envolverá com alguém que tenha algo em comum que ela, como o gosto por música e livros.
   
   Elinor é sensível, mas é racional e a personagem que mais me cativou. Ela é apaixonada por Edward, mas não sofre em todas as suas falas de saudades dele. Diferentemente da sua irmã Marianne que quando conhece Will, se desmancha em açúcar pelo rapaz.

   É uma história com muitos personagens (quase vinte) e muitas vezes eu me senti perdida em quem era quem, quem era filho de quem, quem era primo, mãe, namorado, noivo, enfim! É muito personagem, gente. E isso foi uma das coisas que me incomodou. 

  Austen trabalha o livro inteiro sem cansar na mesma tecla: o futuro dos relacionamentos de Marianne e Elinor, e em como cada mulher lida com suas frustrações, esperanças e amores. 


  
   Levando em conta a época em que a escritora Jane Austen viveu dá pra se tirar várias coisas dessa primeira obra, por exemplo, Austen crítica sua sociedade sutilmente fazendo parecer que a situação é parte da sua história, quando na verdade a gente agora conhece, como era viver em Londres no século XIX (e que não mudaram muita coisa ainda nos dias de hoje) — situações essas como a mediocridade das pessoas em relação aos outros, o único interesse pelo dinheiro, a falta de assunto que valessem a pena participar entre, principalmente, as mulheres, enfim —.

  

   Cada capítulo se inicia com um trecho escrito por letra desenhada, e ás vezes isso pode cansar as vistas, além de que essa versão da Martin Claret algumas palavras que era com "z" estavam escritas como "s", por exemplo: "talves" (e isso incomodava muito) (ah, a foto abaixo não é exemplo de um desses erros, só percebi que poderia ter tirado foto do  erro da grafia depois que já tinha editado tudo, perdoe).

     
    Sem querer, consegui com uma amiga o DVD do filme que é baseado na obra da Austen. E gente, é igualmente lindo! (A atriz que faz a Elinor é a mesma que faz a babá Mcphee!)

     
     Enfim! O livro é delicioso, é daquelas obras que tratam muito mais que um romance! Lindo.

Editora: Martin Claret 
Nota: 4/5

E aí, alguém já leu Jane Austen ou conhecia alguma coisa relacionada a ela? Comentem! 

Obrigada por tudo. (:

Observação: Todas as fotos dessa publicação foram tiradas por mim, por favor os devidos créditos.


6 comentários:

  1. Ainda não li nada da Jane Austen, mas tenho muita vontade, já que ela é uma escritora muito bem comentada e parece ter uma escrita maravilhosa. Esse livro está na minha lista de desejados desde que ouvi falar da Austen, mas ainda não consegui comprá-lo. Beijos!

    http://frases-perdidas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Gabi (:
      Sim, Austen é muito, muito boa! Mas a fama dela fora da Inglaterra não foi muita e os caras ficam chateados por isso, acredita? Ela é comparada ao Shakespeare pela forma de ironia na escrita, e achei isso tão lindo. (':
      Compre essa versão! É o primeira e vale mais do que começar por histórias mais conhecidas dela como Orgulho e Preconceito.
      Beijo!

      Excluir
  2. Jane <3 Sou completamente apaixonado por ela. E amei essa nova versão de seus livros.

    http://closetsecretodoeddie.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo acaba por amar ela, choremos. HAHAH Ah, ainda não conhecia um guri que gostasse da Jane, que bárbaro!
      Edmilson essa versão é linda, apesar dos erros ortográficos, as páginas tem uma textura ótima e dá gosto de continuar a ler, acredite. (:

      Beijo!

      Excluir
  3. eu ainda pretendo ler esse livro, tá na minha estante faz tempo.

    ResponderExcluir

Os comentários neste blog são moderados. Não serão aceitos comentários ofensivos, preconceituosos ou que induzem à violência.

© Mutações Faíscantes da Porto | Layout por A Design