Persuasão por Jane Austen *

       
     A difícil resenha de hoje é a obra literária Persuasão publicada em 1818, um ano após a morte da autora. É o último livro dessa coletânea. Pulei do primeiro para o último, por que esse é um livro emprestado (você pode ler a primeira resenha, nesse link).

“O livro conta a história de Anne Elliot, uma moça que “fora obrigada a ser prudente na juventude, e aprendera o romantismo á medida que envelhecia: a sequela natural de um começo antinatural.” Anne é umas das heroínas mais tranquilas e reservadas de Austen, mas, ao mesmo tempo, é uma das mais fortes e abertas ás mudanças. O livro enaltece a constância do amor numa época turbulenta na história da Inglaterra: as guerras napoleônicas. Escrito nesse período, o romance descreve como uma mulher pode permanecer fiel ao seu passado e, ainda assim, pensar em um futuro feliz. Austen expõe de maneira sutil como uma mulher pode passar por cima das convenções sociais e das restrições femininas em busca da felicidade.”. — sinopse retirada do livro Persuasão pela editora Martin Claret.

     Quando tinha 19 anos, Anne ficou noiva de Frederick, porém a união não foi aprovada pela família da moça, que eram ricos e possuíam título e Frederick era “um Zé ninguém”. Assim Anne é persuadida por uma amiga, Lady Russel, a terminar o relacionamento, por que não era de bom tom e de boa consciência (por assim dizer) uma moça como ela se casar com alguém de baixo ou nenhum título.

   O problema começa quando 8 anos depois, a família de Anne entra em uma crise financeira e tem que cortar algumas despesas (como criados, cavalos, móveis...), e assim se muda para outra região. É então que Anne descobre que a família que ocuparia a antiga casa seria a de Frederick, que tinha conquistado fortuna nos anos em que atuou na Marinha da Inglaterra, e agora era o jovem mais cobiçado.
 
    Anne sofre o livro inteiro (!) por esse amor. Ela se sente culpada, e acha que Frederick a odeia por ter desistido do amor deles. 

    Além de no passado ter dado ouvidos a Lady Russel, Anne também sofre com o desprezo da família. O pai e a irmã são absolutamente superficiais e se importam somente com eles mesmos. E, além disso, tudo, Anne é colocada na história como uma garota, com agora 27 anos (idade esta que era considera o limite para que uma moça pudesse encontrar um marido), que é necessária somente para o interesse dos outros.


     Anne é tão tranquila e reservada que provoca raiva. Ela é passível ao seu sofrimento, e só toma ação quando recebe uma carta (...) que é considerada a mais linda pelos leitores de Austen.

    Como as outras obras de Austen, também foi produzido um filme sobre a história (2007). A atriz que interpreta Anne é Sally Hawkins, e muita gente critica a beleza da atriz para o papel. Bom, eu acho essa mulher linda para a personagem e combina muito com a personalidade da Anne do livro. O Frederick é interpretado Rupert Penry-Jones e dele ninguém questiona a beleza para o papel. Minha única crítica desse filme é que há beijos demais... Austen não escreveu isso.

    Comparando o primeiro livro com o último, em termos de história de amor, Persuasão vence, porém quanto a densidade do livro ainda prefiro Razão e Sensibilidade.

“A história de Anne Elliot é arrebatadora, uma vez que todo amor que é impedido de ser vivido é comovente.”

      E vocês? Já leram Persuasão ou assistiram ao filme? Eu quase ia colocar um spoiler aqui para comentar com alguém o que achou, mas aí lembrei que sempre quando encontro "SPOILER!" eu acabo lendo .-.
     Então pra não deixar ninguém nesse perigo, comentem se conhecem a obra! Eu adoro compartilhar ideias! :3

         Obrigada por tudo (e desculpem a demora da resenha!)
 

Se quiser acompanhar meu trabalho: Dizem Por Aí! (: 


10 comentários:

  1. Suas resenhas são incríveis Amandinha *__* adorei! E gosto cada dia mais de ter a sua colaboração aqui no meu cantinho.. parabéns mesmo, você escreve muito bem :3 beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carol! Obrigada por ser tão gentil! É um prazer escrever aqui. :D

      Beijo.

      Excluir
  2. eu sou doida pra ler esse livro, até agora só conheço Orgulho e preconceito da autora. ^^
    Tbm não vi o filme, e pretendo ver apenas depois de lido. xD
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Orgulho e Preconceito só assisti ao filme :~ (duas vezes!)
      É ótima a escolha de ler pra depois assistir a obra, por que assim você não se sente "enganada". :3
      Irá adorar, beijo!

      Excluir
  3. Menina, além de ser uma ótima resenhista, a Jane é perfeita! A maneira que ela escreve sobre o direito de amar, para a época, é fabuloso. Eu quero comprar o box de todos os filmes dos livros dela e depois ler todos os livros novamente.
    http://poesianaalmaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. SONHO de consumo ganhar os boxs da Jane, menina. Seja dos filmes ou dos livros, aiaiai. <3
      Jane é linda para a sua época, sem toda aquela hipocrisia, e preconceito das pessoas. <3

      Beijo.

      Excluir
  4. Meninaaa, acredita que ainda não li nada da Jane?
    Mas só por falta de oportunidade, porque sou louca pra ler.
    Amei a resenha, muito clara e interessante adorei!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Kris! Por que não tenta começar a ler em pdf? O começo da história pode ser um pouco confusa, mas depois que você pega o jeito dela contar a história, é incrível!

      Obrigada, menina. (':

      Excluir
  5. Vou comprar esse imediatamente, adorei a sua resenha!

    http://www.isadoramonteiro.com.br/2014/12/fim-de-relacionamento.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ahhh! Que bom, Lydianne!! Fico feliz. :D

      Beijo.

      Excluir

Os comentários neste blog são moderados. Não serão aceitos comentários ofensivos, preconceituosos ou que induzem à violência.

© Mutações Faíscantes da Porto | Layout por A Design