Amor: a "coisa" cafona mais maravilhosa que existe *

Coloquei uma carta numa velha garrafa,
Mais uma carta de solidão,
Coloquei uma carta, um pedido da alma,
Salvem meu coração...
Eu sempre fui romântica. De discreta e tímida a louca desvairada, mas sempre.. romântica. Aos 12 anos fazia o estilo menina decidida que sabia muito bem o que queria, porém sonhava em casar também. Aos 13, ficava horas observando de longe aquele semideus grego na piscina do clube perto de casa, tentando tomar coragem de falar "e aí? lembra de mim? do colégio Extensão e tals..", fato que só ocorreu meses depois. Aos 14.. namorei o homem da minha vida, mas mal sabia que anos mais tarde ele estaria casado com outra e até com filha pequena. E assim foi sucessivamente.. encontros de alma, separações dolorosas, olhares fixos e carinhos que vinham de caras afim de mim, fosse pra ficar ou namorar.

E todas as vezes eu me entreguei. Não de corpo e sim de algo mais profundo ainda. Me entreguei de coração aberto, me entregava de uma forma que eu julgava errada mas lá estava eu de novo, fazendo o papel de boba apaixonada, o que alguns chamam de "papel de trouxa". Mas e daí? Eu queria amar! E quanto mais amor desse, na minha cabeça, mais amor eu receberia. E todos sabemos que não foi bem assim.


Por muitas vezes tentei me enganar pensando "nããão, ele vai na balada só para se divertir mesmo e me deixa em casa por causa dos meus pais que estipulam horário pra chegar em casa. Ou seja, a culpa é minha mesmo, não dele" OU MELHOR "não tem problema a irmã do amigo dele estar de camisola passeando pela casa, enquanto ele dorme no quarto ao lado.. puuuf eu confio nele". Sim, porque eu sempre tive provas visíveis de que se eu desse uma de ciumenta louca, eu iria perder aquele homem.. e isso era o que eu menos queria. Sofria com um par de chifres na cabeça, mas namorava e torcia pra nunca pegar no flaga. E tudo isso pra quê?

Levei vários foras, mas um deles foi mais dolorido em especial. E eu soluçava de tanto chorar, enquanto amigos que por sinal eram afim de mim, me consolavam e eu? Eu nem ligando pra eles e sim pro cara que tinha me dado o fora. Aquelas palavras "eu não vou largar dela por você, pois a amo demais agora" latejavam na minha cabeça. E eu nunca aceitei muito bem uma perda, por mais que não demonstrasse, a ferida estava ali, aberta, pra quem quisesse ver. Mas pior que uma perda de amor, é a perda de uma amizade. E por várias vezes senti que fosse infartar a cada amigo ou amiga que perdia, fosse por causa de uma briga ou por causa de um maldito acidente de moto em específico que me fez ficar praticamente um mês sem comer direito. 


Eu nunca quis tanto ser uma cafona no amor. Daquelas que escrevem cartas pro namorado de madrugada, fazem um mural na parede do quarto com fotos do casal e presenteiam o amado com algo extremamente criativo e detalhe.. feito por ela com todo amô. Borboletas no estômago? Que nada! É uma montanha russa mesmo dentro da gente. Mas o fato é que nada disso acontece e aí ela se sente uma frustrada por ter desprezado todos os carinhas que mandavam cartas, buquês de rosas ou mensagens de amor às 7h da manhã, só porque eles eram feios ou pior, tremiam de ansiedade quando abraçavam ela.

E é aí que todos os traumas, medos e brigas começam a fazer sentido. Não era pra ser.. assim como ela sente que não é pra ser agora. E quando os olhos se cruzarem e ela compartilhar seus sonhos mesmo que seja um desconhecido e for retribuída com todas essas cafonices, aí sim ela terá descoberto o amor verdadeiro. Afinal, o amor não é para doer e sim para fazer feliz todos os dias.


E aí.. gostaram? E sim.. eu ando assistindo MUITA novela mesmo haha.

Beijos ;*

4 comentários:

  1. Que nada de muita novela...
    LINDO!!!
    O AMOR é lindo e esse escrito foi lindo também.
    As vantagens de ser invisível é Lindo, UP é lindo também!
    Recebi o Caetano.
    Mas sério, achei tudo lindo, magnifico, fiquei até sem palavras pra falar mais.
    Porque você já disse tudo.
    A cada dia você está melhor com as palavras *___*
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. :3 Obrigada Kris, fico muitíssimo feliz que tenha gostado.. essa sou eu nos meus momentos de inspiração haha você também escreve muito bem mulher, adoro suas resenhas e posso dizer que comecei a ler bem mais depois que conheci seu blog :D grande beijo flor ;*

      Excluir
  2. O amor é lindo quando é recíproco e verdadeiro. Talvez o amor chegue em algum momento da vida, seja ele qual for.
    Belo texto.
    Abraços Mika,
    Pensamentos Viajantes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Falou tudo Mika.. porque quando não é recíproco vira um inferno :( obrigada! beijos

      Excluir

Os comentários neste blog são moderados. Não serão aceitos comentários ofensivos, preconceituosos ou que induzem à violência.

© Mutações Faíscantes da Porto | Layout por A Design