Freud explica: será que pelo menos a Psicologia consegue explicar os últimos ataques terroristas no mundo? *

Como pode um pai estuprar sua própria filha? Por que alguém entraria num prédio em chamas para salvar um estranho? Porque fulano parou de falar comigo? Porque namorados/maridos matam as suas companheiras depois de uma briga, mesmo após anos de convivência? E porque raios afinal, terroristas invadem uma redação e matam 12 cartunistas assim, dessa forma tão cruel e dizendo apenas que estão fazendo isso por vingança, graças a publicações do jornal em que o mesmo satirizava o profeta Maomé? Se fosse assim, os cristãos também matariam horrores por causa das piadas que fazem com Jesus.

Foto retirada do site UOL - Créditos ao cartunista sul-africano Jerm
Ambas as religiões pregam o amor ao seu próximo, além de incentivar com que todos, crentes ou não, vivam em harmonia, sendo muito triste esta distorção que muitos fazem, afirmando que tanto nós evangélicos como eles muçulmanos são fanáticos, preconceituosos e outros absurdos que não valem nem a pena serem citados. E tudo isso, por causa de uma minoria digna de pena (sim, porque praticam atos de violência que vão contra todos os ensinamentos) e que causa tanta revolta nas pessoas do mundo inteiro.

É fato que existem sim cristãos ruins (Hitler mesmo se considerava cristão), assim como existem muçulmanos ruins, mas isso não pode ser generalizado de forma com que a população pense que todos agimos da mesma maneira. O problema é que estamos cansados de saber disso e muitos ainda continuam a julgar. Sabe, eu bem que tentei não trazer esse tema tão sério para o blog, mas não teve jeito e sinto que preciso desabafar sobre isso aqui. Como todos devem saber, eu sou jornalista e na época da faculdade, estudei um pouco de Psicologia Social. Então pelo que eu mesma entendi do que estudei, tais comportamentos acontecem devido ao fato de cada indivíduo ser único, com características extremamente pessoais e que são capazes de moldar a sua personalidade, influenciando em seu caráter.

Porém, a mídia muitas vezes pode salientar certos traços de personalidade tais como: a independência, a sociabilidade, a ambição, a sofisticação, entre outros. Mas não é apenas a mídia que ajuda no processo de formação de cada indivíduo. Nossos conceitos e opiniões também são formados pela maneira como nossos pais nos educam, pelo comportamento de uma comunidade em que vivemos ou que nos identificamos, pelas nossas experiências pessoais e o total do conjunto de traços psicológicos internos que determinam nosso comportamento perante as mais diversas situações. Além disso, nossa personalidade está sempre em constante mudança, sendo impossível uma pessoa permanecer sempre com as mesmas opiniões e com o mesmo jeito de ser.

Imagem retirada do site Perfeitos Estranhos
Nossos traços podem ser formados por três traços de interação que segundo Freud, são estes: o ego (que é a base do descontrole, ou seja, a nossa emoção); o super ego (que é aquele que freia, restringe ou inibe as forças impulsivas) e o ID (que é onde se encontra todos os nossos desejos do subconsciente). Então pode-se concluir que, cada ser humano possui um traço de personalidade baseado nas teorias psicanalíticas que são: o introvertido, o extrovertido, o pensamento, o sentimento, a sensação e a intuição. De acordo com suas experiências de vida, a pessoa irá desenvolver um traço maior de personalidade em cada um desses casos.

Os pais podem sim influenciar muito no caráter de seus filhos, mas isto não significa que os filhos seguirão os mesmos exemplos de seus pais quando estiverem na fase adulta. Mas uma coisa é fato: pais que mimam demais seus filhos estão sujeitos a terem no futuro filhos arrogantes que acham que podem fazer e pisar em quem bem quiserem. Da mesma forma, pais que não se importam com os filhos podem futuramente serem obrigados a conviver com filhos revoltados e inseguros, já que provocaram o sentimento de rejeição nos mesmos. E isso não vale apenas para os pais, mas para todo uma sociedade, já que tal rejeição pode vir de qualquer pessoa e não apenas dos progenitores.

Por outro lado, as charges (que inclusive pode ser considerada até como um gênero jornalístico opinativo devido ao fato de ser um desenho crítico, normalmente fazendo o uso de caricaturas que satirizam de forma exagerada algum fato ou pessoa em específico) são apenas uma das maneiras de se fazer críticas políticas ou sociais, por meio do humor e muitas vezes com diálogos entre seus personagens, o que de certa forma faz com que ela seja compreendida mais facilmente pelos leitores. Tais desenhos são apenas uma das diversas maneiras que podem retratar a realidade dos fatos, expondo de forma grotesca e ridícula, figuras políticas ou artistas conhecidos pelo público. E talvez por este motivo, as charges incomodem tanto alguns líderes, provocando comportamentos tão irracionais.

"O amor é mais forte que o ódio", diz capa da Charlie Hebdo publicada após primeiro atentado contra redação em 2011 (Foto: Reprodução/Facebook Charlie Hebdo - Foto retirada do site G1)
Por fim, se quisermos que isto mude de alguma forma, temos que começar não julgando uma cultura, religião ou etnia se baseando no comportamento de extremistas. O que temos visto na mídia (até mesmo durante as notícias sobre o ataque) são pessoas ignorantes maltratando, tacando fogo em casas e comércios árabes, logo após a notícia dos ataques terroristas e é isso que precisamos colocar a mão na cabeça, tentar agir diferente e nos livrarmos dessa estúpida ignorância.

É isso pessoal, espero que o texto faça com que vocês reflitam sobre este tema tão abordado nos dias atuais e que provocou tanto medo nos últimos meses. E claro não esqueçam de comentar se quiserem, dando a sua opinião! Eu vou adorar ler, pode ter certeza disso.

Beijos ;*

4 comentários:

  1. Acho que ninguém tem explicação pra essa barbárie que a raça humana se tornou, não.
    Sei lá, mas para o mundo que eu quero descer.
    Tá triste.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente Kris.. eu tive a intenção de tentar pelo menos já que dizem que o tal do Freud explica tudo né.. mas concordo com você, se fosse comigo também não teria explicação :\

      Excluir
  2. Não gosto de psicanálise e muito menos do Freud, mas gosto deveras da linha de pensamento do Leonardo Boff acercado assunto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, acabei lendo o texto dele depois de ter feito o post e concordo totalmente.. mas é como disse pra Kris, tentei explicar baseado naquilo que aprendi em sala e me pergunto se Freud ainda fosse vivo qual seria a opinião dele diante desses ataques.. será que mesmo assim ele ainda tentaria explicar alguma coisa? Não sei.. agora é torcer para que isto nunca mais se repita.

      Excluir

Os comentários neste blog são moderados. Não serão aceitos comentários ofensivos, preconceituosos ou que induzem à violência.

© Mutações Faíscantes da Porto | Layout por A Design